Torrando a cabeça

De vez em quando as coisas não dão certo e o esperado não se realiza. Eu particularmente já sofri bastante disso.

Tudo começa a partir de expectativas que criei sobre a vida. Na verdade, grande parte do que eu faço quando penso na vida é simular cenários e situações, brincar de jogar dados com o destino. Isso não é exatamente uma coisa boa, já me foi dito e eu concordo. A ansiedade que é gerada retroalimenta-se e a cada momento vai nos consumindo progressivamente.

Eu tentei segurar a barra sozinho, acreditando que racionalizando meus problemas chegaria a uma única solução que simplificaria minha vida. Não aconteceu. Ao mesmo passo em que o tempo ia passando, as coisas só iam piorando.

Corri atrás de ajuda. Alguém de confiança, com experiência e intimidade era o que eu precisava, ainda que levasse quase uma hora e meia para ir a uma consulta de quarenta e cinco minutos, aonde eu podia tirar os sapatos, me esparramar no sofá e falar, falar e falar.

Percebi que a minha própria cabeça não era o melhor lugar para eu jogar mues problemas e fazer minhas confissões. Ela já sabia de tudo, não adiantava.

Percebi também que, no meio de todo este turbilhão em que passei nos meus últimos meses, tudo que eu mais precisava era de alguém para me pegar pela mão e me mostrar aonde era o fim do túnel, para me dizer que sim, haveria um momento em que tudo isso acabaria, em que a felicidade reinaria.

Não dá para dizer que tudo aconteceu exatamente como planejado. Tampouco importa, o pior já passou e grande parte do peso que estava em minhas costas desfez-se.

Apesar de sempre estar procurando mais sarna pra me coçar e novos problemas para me atormentar, posso comemorar e dizer que sobrevivi.Além disso, fico feliz em poder dizer que me foi proporcionado um grande aprendizado a ser levado pro resto da vida e que, felizmente ou não, eu ainda terei mais oportunidades de utilizar. É só viver pra ver!

Dedicado a Marta Hazin e Bruno Cavalcanti, caso um dia leiam.

Ugo.

2 pensamentos sobre “Torrando a cabeça

  1. Nossa capacidade de resiliência é mesmo incrível. É ótimo quando conseguimos achar pessoas para compartilharmos nossos pensamentos mais íntimos, e o outro se inclina para acolhe-lo. Saímos dessa situação quase outros, com uma mente revigorada. Bom saber que tivesses esse suporte 🙂 Abração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s