Queria ser escritor

Ele andava chateado com seu trabalho, sentia que não tinha nascido pra isso. A burocracia estava comendo suas entranhas e inflamando seus nervos, a indecisão da sua vida tomava suas noites de sono e o sossego de seus fins de semana. Estava difícil achar uma luz no fim do túnel e ele sabia.

Ainda assim, sonhava em ser escritor. Ficaria em casa ouvindo música e escrevendo tudo que surgia de sua imaginação, talvez viajaria também para outros países para coletar o conteúdo do seu próximo livro. Criaria um blog e uma página no Facebook para se relacionar com suas dezenas de milhares de fãs e seria rico. Best-sellers, o glamour das festas de lançamento de livros e todo o relacionamento com a high society.

Não teria de se preocupar com horários, com obrigações, com chefes nem processos inacabados e inacabáveis. Era só sentar e escrever, sentar e escrever, sentar e escrever… Seria um escritor famoso, mas não tinha ideia nem sobre o que falar.  Não lembrava de algum assunto que conhece bem o suficientemente para abordar ou de alguma história interessante ou engraçada e ficava angustiado por saber o que queria fazer e não poder por incapacidade própria.

Na pausa do cafézinho, saiu do escritório e foi andar na rua, tentando pensar em algo interessante para falar. Viu uma apresentação de rua e em um instante se distraiu dos pensamentos que o torturavam.

Tudo que ele queria era ser escritor, mas não escreveu nenhuma palavra e, no final das contas, nunca foi.

Ugo.

Um pensamento sobre “Queria ser escritor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s